dez 18

Com questões regionais, realizou-se nos dias 4 a 6 de Dezembro na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp – Câmpus de Presidente Prudente – o II Seminário Dinâmica Econômica e Desenvolvimento Regional. Tema central: “QUESTÕES REGIONAIS: PERSPECTIVAS E DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS DA GEOGRAFIA ECONÔMICA”. Organização dos Grupos NUPERG (Núcleo de Pesquisas e Estudos Regionais)/UNESP-SP e GEDE (Grupo de Estudos da Dinâmica Econômica)/UNICENTRO-PR. O evento foi o 2º realizado no Brasil, pois a 1ª edição verificou-se em 2012 e foi organizado e realizado por iniciativa da Universidade Federal do Triângulo Mineiro/UFTM.

A abertura realizada no Auditório/Discente V em Presidente Prudente/SP, foi presidida pelo Prof.Dr.José Carlos Silva Camargo Filho (Vice-Diretor da FCT/Unesp), tendo a Profª.Drª.Maria Terezinha Serafim Gomes, como Coordenadora Geral. O evento cumpriu seu objetivo de proporcionar um espaço de discussões sobre temas ligados à Geografia Econômica e áreas afins, que possibilitem contribuir para o conhecimento das dinâmicas econômicas e do desenvolvimento regional. Buscando a compreensão das transformações nos espaços econômicos regionais, estabelecer e aprofundar as relações acadêmicas entre grupos de pesquisas.

A promoção proporcionou a vinda de palestrantes vindos de diversas Universidades e regiões do Brasil, objetivando uma integração de estudiosos dos temas abordados. Nesse sentido, foram convidados pesquisadores de várias universidades brasileiras com ampla experiência no tema central do evento para as conferências e mesas redondas, além da participação nos grupos de trabalhos.

No primeiro dia do evento (4/Dezº), a conferência de abertura foi proferida pela Profa. Sandra Lencioni, da Universidade de São Paulo com o tema “Questões Regionais: perspectivas e desafios contemporâneos”. A conferencista destacou a importância de pensar um projeto nacional para o Brasil; tratou do desenvolvimento geográfico desigual e diferentes formas de acumulação do capital. O destaque importante de sua conferência foi discutir o capital e suas diversas espacializações, a hegemonia do capital financeiro no contextual, deslocamento e descolamento do capital produtivo em relação ao capital financeiro. Diante destas considerações lança-se o grande de desafio para compreensão do desenvolvimento geográfico desigual e as questões regionais?

As primeiras mesas redondas

No dia 05/12, a programação foi cumprida através de mesas redondas. A 1ª delas, versando sobre “Dinâmica Econômica e desenvolvimento regional: múltiplas análises e escalas” com os professores Olga Firkowski (UFPR),María Mônica Arroyo (USP), Denise Elias (UECE), foi coordenada pela Profa. Sandra Videira (UNICENTRO). A mesa abordou os seguintes temas: a economia do conhecimento; a seletividade espacial, a valorização e desvalorização dos lugares e; as transformações neoliberais na reestruturação urbana-regional, destacando as regiões produtivas do agronegócio; os desafios de desatar os nós que sustenta o agronegócio, entre eles: nós da relação orgânica entre o estado e agronegócio o poder da bancada ruralista, os nós da criminalização dos movimentos sociais, nós da naturalização das desigualdades sociaoespaciais, sendo este último apresentado pela Profa. Denise Elias.

A mesa 2 abordou o tema: Desindustrialização do Brasil ou nova reestruturação/configuração dos espaços produtivos? Com os professores Silvia Selingardi Sampaio (UNESP-RC), Edilson Alves Pereira Junior (UECE), Lisandra Pereira Lamoso (UFGD), foi coordenada pelo Prof. Dr. Eliseu Savério Sposito (UNESP). A mesa destacou as diferentes análises sobre a desindustrialização no Brasil, conforme mostrou o Edilson; Lisandra mostrou a perda de participação da indústria no PIB;Redução do emprego industrial;Desindustrialização absoluta; Desadensamento de cadeias produtivas;Redução na participação das exportações de manufaturados; Silvia destacou a reprimarização da pauta exportadora e reconfiguração dos espaços produtivos. “A reprimarização da pauta exportadora do país é um fato de fácil constatação, mas não está necessariamente vinculada à ocorrência de desindustrialização”

“O processo de reconfiguração dos espaços produtivos no Brasil é um movimento da indústria no território que se desenrola desde a década de 1970, continua ativo e não parece estar atrelado à suposta recente desindustrialização. Já a desindustrialização resta controversa, principalmente por causa das dificuldades teóricas de conceituação e de escolha dos indicadores mais adequados.

De qualquer modo, ainda que não seja “tecnicamente” uma desindustrialização precoce, não pairam dúvidas de que o setor industrial nacional vem sofrendo, há décadas, pesadas perdas, sofre estagnação ou regressão em muitos setores, e precisaria de atenção especial. A última diretriz industrial surgida foi o Plano Brasil Maior, em 2011, que buscava “Inovar para competir, competir para crescer”, e fixou limites para a utilização de componentes importados na indústria em geral e, em especial, nos setores de tecnologias, bens e serviços para energias. A recessão industrial dos últimos três anos, com certeza, não contribuiu para seu bom desempenho”.

E mais uma referência:“Estamos no olho de um furacão, que nos tolda a visão e talvez a plena racionalidade, e pode impedir uma adequada leitura desse momento tão angustiante da vida nacional, em meio ao que muitos qualificam de maior crise da história, que engessa o cotidiano do país e emperra a economia. A grande questão que fica é: qual a extensão exata dos danos e das mudanças ocorridas?

Ao mesmo tempo, é preciso refletir, buscar entender porque um país tão bem dotado pela natureza não consegue chegar ao pleno desenvolvimento, nem consegue erradicar a pobreza e as desigualdades que afligem seus habitantes, através do tempo. Entender para tentar mudar, e não para se acomodar e aceitar a eterna condição de país “emergente”, “em desenvolvimento”.

Não podemos nos entregar ao desalento, contudo. Geralmente, é em momentos de crise, em meio a “sangue, suor e lágrimas” que as sociedades são instigadas a forjar respostas e reações, em busca da solução de seus problemas” (Silvia Selingardi Sampaio).

Integração e desenvolvimento regional

No dia 6/Dezº foi desenvolvida na FCT/Unesp, a mesa redonda nª 3, sob o tema: “América Latina: integração e desenvolvimento regional”, com Leandro Bruno Santos (UFF), Antonio Marcos Roseira (UFABC), Claudete Vitte (Unicamp), foi coordenada pelo Prof. Clerisnaldo Rodrigues de Carvalho (UNESP-Ourinhos). A profa. Claudete Vitte destaca dá ênfase a integração regional, destacando o Financiamento e Projetos Prioritários do Cosiplan/Unasul e sua articulação com projetos nacionais sul-americanos: dilemas da integração regional.
A profa. Claudete destaca que:

-Os investimentos beneficiam majoritariamente as grandes empresas, os capitais transnacionais e empresas brasileiras.
-Investimentos em infraestrutura refletem o aprofundamento do modelo primário exportador de produtos minerais, commodities agrícolas,
recursos energéticos (“super ciclo” mundial das commodities).
-A IIRSA/Cosiplan fomentou processos de liberalização e de privatização de bens comuns e isso incidiu sobre conflitos socioambientais
em comunidades assentadas nas zonas de influência dos projetos.
-Países América do Sul aumentaram exportações de matérias-primas, mas vêm se “desindustrializando”.
-Mantém-se dependência de financiamento externo.
-Comprometem os recursos naturais dos países (sem uso estratégico).
-A agenda de projetos tem gerado muitos conflitos sociais muitas vezes respondidos com medidas repressivas”. (Claudete Vitte).

Geopolítica econômica

O Prof. Antonio Marcos Roseira destaca a geopolítica econômica regional, o comércio exterior do Brasil com países da América do Sul – mostrando a retração regional do Brasil após o golpe de 2016 – retratação do multilateralismo, o ataque as instituições que subsidiam os investimentos externos diretos do Brasil no exterior, como BNDES e o fim das políticas das campeãs nacionais, ou seja de grandes empresas multinacionais brasileiras que atuavam em vários países; O prof. Leandro Bruno Santos, destaca os fluxos de investimentos externos e integração regional entre o subimperalismo e o território em disputa.

Mesa redonda nº 4

Políticas Públicas, Estado e Desenvolvimento Regional, com atuação destacada dos seguintes palestrantes: Claudio Egler (UFRJ), Márcio Cataia (UNICAMP), Márcio Catelan (UNESP), coordenado Pierre Alves Costa. O prof. Cláudio Egler abordou a geoeconomia e as metrópole, destacando a explosão metropolitana nos últimos anos. Destaca que para compreender a metrópole de ponto de vista da geoeconomia é necessário definir as três relações espaciais fundamentais responsáveis pela organização do território e formação das metrópoles: 1) as relações cidade e campo; 2) as relações centro e periferia; 3) as relação capital e província. Egler faz um alerta: “É imperioso rever o Estatuto da Metrópole de modo a diferenciar o que efetivamente é uma área metropolitana, que demanda uma efetiva cooperação interfederativa na atenção às funções públicas de interesse comum de uma região metropolitana criada para atender a interesses locais e regionais”. (Claudio Egler)

Marcio Cataia tratou do federalismo e políticas públicas, destacando que a formulação e a implementação de estratégias de desenvolvimento requer articulação de três níveis de governo e os poderes laterais que atravessam o Estado. Tratou das transferências constitucionais e Transferências Discricionárias, destacando as mudanças após 2016.

Cata destaca que no período de 2003-2015/2016 nas políticas públicas sob viés neodesenvolvimentista havia uma “articulação em torno de eixos programáticos entre a União que regulava, e os municípios que executavam”; Nexos União / municípios: institucionalidade com a AGU; Conjunto de Programas, além dos repasses aos municípios. Já no período após o golpe, de 2016/2017…, destaca-se pela desarticulação: visão local, fora de um projeto federativo, pelo Retorno ao ”comércio” do Congresso Nacional, pelas Negociações caso a caso;pelo Novo enlace federativo vertical. (Marcio Cataia)

O professor Catelan abordou uma síntese da história do planejamento regional no Brasil por meio da análise dos planos estatais. O objetivo principal foi pensar como o Estado vem atuando no que se refere à relação entre a elaboração e aplicação das políticas públicas e a crescente penetração do capital nestas políticas.

Conferência de encerramento

O II Seminário: Dinâmica Econômica e Desenvolvimento Regional trouxe como convidado para a conferência de encerramento, O Prof.Dr.Armen Mamigonian, da USP/UFSC. A Coordenação foi feita pela Profª.Drª.Maria Encarnação Beltrão Sposito. Na conferência – aguardada com expectativa geral – o Professor Armen chamou a atenção para o desmonte das empresas nacionais do setor de energia e construção.

Além das conferências e mesas redondas o evento contou com grupos de trabalhos: 1) – Dinâmica urbana, múltiplas escalas e desenvolvimento regional. 2) – Dinâmica econômica e espaço agrário. 3) – Indústria, novas estruturas produtivas e desenvolvimento regional. 4) – Redes, Territórios e Desigualdades Regionais. 5) – Políticas públicas, integração e desenvolvimento regional: múltiplas escalas.

O evento realizado em 2017 durante três dias no Câmpus da FCT/Unesp em Presidente Prudente, proporcionou a vinda de palestrantes oriundos de diversas Universidades. Entre elas: USP, UFABC, UNICAMP, UNESP-RC, UNESP-PP, UFF, UFRJ, UFPR, UFGD e UECE, objetivando uma integração de estudiosos dos temas abordados.

O evento contou com participantes USP,UFABC, UNICAMP, UNESP-RC, UNESP-PP, UNESP – Ourinhos, UFF, UFRJ, UFPR,UFGD, UECE, UFG, PUC-GO, UFTM, UNICENTRO, UEL, UEM, UFMS, IFSP, UNB, UNOESTE, IEA-APTA, UNESP- Marília, IFSULMINAS, UFT, UFRN, entre outras.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Entre os dias 4 e 6 de Dezº/2017, a FCT/Unesp – sediou um evento da mais alta importância, aberto solenemente pelo Vice-Diretor, Prof.Dr.José Carlos Silva Camargo Filho, que presidiu os trabalhos.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
O II Seminário: Dinâmica Econômica e Desenvolvimento Regional debateu temas os mais atualizados sobre Questões Regionais – Perspectivas e desafios contemporâneos da Geografia Econômica.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
A Coordenação Geral desse evento significativo foi confiada à Profª. Drª. Maria Terezinha Serafim Gomes, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp – Presidente Prudente.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Temas atribuídos à região de Presidente Prudente também tiveram enfoque especial através da Profª.Drª. Maria Encarnação Beltrão Spósito, do Departamento de Geografia da FCT/Unesp.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Políticas públicas voltadas ao espaço rural ; Programa de Aquisição de alimentos e desenvolvimento sustentável, microbacias e assentamentos. Temas defendidos pela Profª Drª.Rosângela Aparecida de Medeiros Hespanhol.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
O Prof.Dr.Armen Mamigonian (ex-Docente da Unesp), veio representar, como convidado a USP/UFSC e teceu considerações sobre o momento atual, especialmente nos setores político e econômico.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Nos momentos finais do evento vieram as flores – muitas flores para presentear os que atuaram neste evento de expressão nacional – especialmente alunos e professores – que tiveram excelente participação no evento.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
O palco do Auditório/Discente V da FCT/Unesp recebeu grande contingente de alunos, colaborando para o êxito deste II Seminário: Dinâmica Econômica e Desenvolvimento Regional. De parabéns a Profª.Drª.Maria Terezinha Serafim Gomes!

escrito por Assessoria de Comunicação e Imprensa - FCT UNESP

out 25

Seminário realizado na FCT/Unesp através de convênio, teve suas ações voltadas ao gerenciamento na região.

A região de Presidente Prudente, abrangida por um acordo entre o Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e Cia. Energética de do Estado de São Paulo – no âmbito de ações entre a Unesp e Secretaria Estadual do Meio ambiente – promoveu Seminário de resíduos sólidos urbanos no dia 18. Presentes, representações de toda a região e também: dos Governos Federal e Estadual. Na Abertura (presidida pelo Vice-Diretor da FCT/Unesp, Prof.Dr.José Carlos da Silva Camargo Filho), palestra com atuação do Ministério Público e Caixa Econômica Federal, em relação ao gerenciamento municipal de resíduos sólidos na área do acordo.

No Seminário, presença do prefeito Nelson R.Bugalho; Maurício Brusadin, Secretário de Estado do Meio Ambiente; Gabriel Lino de Paula Pires, Promotor de Justiça do GAEMA (Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente/MPE; Gilson Paduletto, Superintendente Regional Substituto, representando o Sr.João Paulo Gomes de Amorim (Superintendente da Caixa); o Prof.Dr.Sílvio Rainho Teixeira, Coordenador do Laboratório de Caracterização de Resíduos, da FCT/Unesp e Sra.Maria Aparecida Assis Silva, Presidente da Cooperativa de Trabalhadores de Produtos Recicláveis de Presidente Prudente (COOPERLIX).

Os primeiros a se manifestar foram: o Prefeito Municipal e os representantes do Ministério Público Federal, Luís Roberto Gomes e da Caixa Econômica Federal, Camila Frazati Rodrigues Felício. As palestras seguintes foram pronunciadas pelo representante da FCT/Unesp, Fernando Sérgio Okimoto, seguindo-se Mesa redonda com abordagem sobre “Experiências municipais em gerenciamento de resíduos sólidos urbanos e de organização regional de catadores de materiais recicláveis. Coordenação do Prof.Dr.Antônio Cézar Leal, da FCT/Unesp e Nelissa Garcia Balarim, representando a Prefeitura Municipal de Presidente Prudente.

Da mesa redonda – realizada no período da tarde – também participaram: Mateus Martins Godoi e Jorge Guazzi pela Companhia Prudentina de Desenvolvimento/Prudenco; Antonio Domingos Dal Más, representando a Prefeitura Municipal de Presidente Epitácio e Érica Eloisa Petrúcio, do Comitê Oeste Paulista do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis. Na etapa final, debates “Síntese e Proposta para o gerenciamento de resíduos sólidos urbanos na região de Presidente Prudente” sob moderação da Professora Maria Cristina Rizk, da FCT/Unesp.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
No Auditório/Discente V da Faculdade de Ciências e Tecnologia, o Vice-Diretor, Prof.Dr.José Carlos Silva Camargo Filho fez a abertura oficial do evento.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Coube ao Prefeito Nelson Roberto Bugalho de se congratular com a presença de destacadas autoridades Federais, Estaduais e Municipais (da região), prestigiando o Seminário.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Os Coordenadores do evento anunciaram a realização do Seminário desse evento, como resultado de um acordo no âmbito de ações entre a Unesp e a SEMEA.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Ministério Público Federal e Ministério Público Estadual e Caixa Econômica Federal foram aqui representados juntamente com o Comitê Regional dos Catadores de Materiais Recicláveis.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
O Prof.Dr.Silvio Rainho Teixeira – Coordenador do Laboratório de Caracterização de Resíduos da FCT/Unesp teve excelente atuação na Mesa redonda, aqui realizada.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Durante o dia inteiro (12/Outº), as atenções estiveram voltadas exclusivamente para essa questão ambiental que envolveu desde cedo, personalidades ligadas ao Governo.

Clique para ampliar! Clique para ampliar!
Nesse debate não poderia faltar a representante da mulher e Presidente da Cooperativa de Trabalhadores de Produtos Recicláveis/COOPERLIX, Sra. Maria Aparecida Assis Silva e outras.

escrito por Assessoria de Comunicação e Imprensa - FCT UNESP

abr 20

Na noite de 2ª feira (18 de Abril), o Prof.Dr.Eduardo San Marful Orbis, da Universidade de Havana/Cuba – que veio a convite do Prof. Dr.Antonio César Leal/Deptº de Geografia -proferiu palestra na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp – Campus de Presidente Prudente.

O Anfiteatro I, onde se realizou o evento ficou superlotado com a presença em maior número de estudantes do Programa de Pós-graduação em Geografia. Os trabalhos foram coordenados pelo Prof.Dr. Eliseu Savério Sposito, do Deptº de Geografia da FCT/UNESP, que fez a apresentação do convidado e atuou como intérprete entre palestrante e participantes do encontro.

O palestrante fez uma abordagem geral da situação atual em Cuba, ressaltando aspectos da mais alta importância para o intercâmbio cultural, técnico, científico, social e agrário. Na abertura, o Prof. San Marful destacou as principais características do território cubano, desde clima, morfologia,vias de comunicação, bacias hidrográficas, uso e conservação do solo, bem como produção agrícola e atividades comerciais.

Estudantes e demais participantes fizeram perguntas as mais diferentes; e todas elas foram respondidas satisfatoriamente. “Cuba e suas principais características”, foi a denominação dada à 1ª parte da palestra, especialmente aos aspectos da Geografia e Economia na Ilha do Caribe.

A 2ª parte da palestra “A sociedade cubana”, foi constituida de uma amostragem de mapas, fotografias e gráficos da estrutura do país, numa avaliação geral com dados estatísticos sobre sexo e idades, com atendimento de saúde, aspectos relacionados à fecundidade, mortalidade infantil, movimentos migratórios – internos e externos – elementos essenciais para o crescimento da população. E não faltaram esclarecimentos relacionados ao Rejuvenescimento já proclamado para os próximos anos pelo Governo de Cuba.

Dr. San Marful explicou também os diversos aspectos dos Assentamentos Agrários e sua estrutura em termos de solo e sua ocupação. Num Áudio-visual mostrado aos participantes presentes no Anfiteatro I da Unesp, foi possível visualizar o processo de evolução que vem ocorrendo (em apreciação do Congresso) e aproveitou para agradecer a oportunidade que lhe foi dada de vir pessoalmente falar a respeito do assunto, esclarecendo as dúvida até então existentes. Em resposta, ao finalizar sua palestra recebeu da platéia, calorosos aplausos.

Pronunciamento do palestrante

Para conhecimento geral, reproduzimos a seguir o pronunciamento do Prof.Dr.Eduardo San Marful Orbis, da Universidade de Havana, que é o seguinte:

“A continuación le adjunto lo solicitado por usted para la UNESP:

El 18 de abril a las 19:30, en el anfiteatro No.1 de La UNESP, el Dr. Eduardo San Marful Orbis, profesor titular del Centro de Estudios Demográficos, y de la Facultad de Geografía de la Universidad de La Habana, Cuba, impartió una palestra a los estudiantes de pregrado y postgraduación titulada “Cuba: Población”. La presentación del profesor invitado, fue realizada por el Dr. Eliseu Sposito, quien explicó que los motivos por los cuales el Dr. San Marful Orbis se encontraba entre nosotros era un estadía de trabajo para diseñar una metodología para el estudio y caracterización de las ciudades en Brasil y Cuba.

Esta palestra fue estructurada en dos partes: la primera titulada “Cuba: principales características” donde se abordaron temas tales como ubicación geográfica, principales características de su relieve, morfología, clima, cuencas hidrográficas, vías de comunicación, uso del suelo y las peculiaridades del uso de la tierra así como su producción. Una vez finalizada está primera parte, los estudiantes y profesores realizaron interesantes preguntas al Dr. San Marful, donde saciaron sus deseos de conocer al respecto de la Geografía y Economía mayor Isla del Caribe.

La segunda parte de la palestra, denominada “La sociedad cubana”, el disertante mostró a través de mapas, fotos y gráficos la estructura por sexos y edades de la población, los principales aspectos relacionados con la fecundidad, la mortalidad, los movimientos migratorios tanto internos como externos, elemento esenciales que tienen que ver con el crecimiento de la población; interesante resultó la explicación sobre el proceso de envejecimiento por el que está atravesando Cuba.

Más adelante, explicó detalladamente la conformación de los distintos asentamientos poblacionales y sus estructuras atendiendo no solo a la cantidad de habitantes que en ellos residen sino también a la infraestructura que los mismos poseen. De interés, para el auditorio, resultó el grupo de fotografías presentadas, donde se mostraba la vida cotidiana del pueblo cubano. Al igual que en la primera parte, el Dr. San Marful respondió de manera magistral cada de una de las preguntas formuladas por los presentes en el auditorio, que en ocasiones no tenían relación con lo presentado”.

Eduardo San Marful Orbis

Clique para ampliar!Clique para ampliar!
A palestra ministrada pelo Prof.Dr.Eduardo San Marful Orbis foi coordenada pelo Prof.Dr. Eliseu Savério Sposito, do Departamento de Geografia da FCT/UNESP

Clique para ampliar!Clique para ampliar!
Público numeroso,constituído principalmente por estudantes de Pós-graduação em Geografia prestigiou o evento, realizado no Anfiteatro I, da Faculdade de Ciências e Tecnologia.

Clique para ampliar!Clique para ampliar!
Aspectos da evolução urbana em Havana, mostrados em áudio-visual durante a palestra.

escrito por Assessoria de Comunicação e Imprensa - FCT UNESP

nov 19

No último dia 18 de Novembro – no horário das 13h30 às 15h00 – realizou-se o “III Seminário de Empreendedorismo na Engenharia Cartográfica” na FCT/UNESP – Campus de Presidente Prudente. O evento fez parte da Semana Global de Empreendedorismo, ação que é desenvolvida em mais de 100 países.

A visão, a missão, os valores, as áreas de atuação, os serviços, os produtos, os parceiros e clientes foram apresentados pela Global Eagle Soluções em Geoprocessamento, empresa virtual criada pelos próprios estudantes da disciplina Empreendedorismo, sob a orientação da Profª. Drª. Arlete Meneguette, do Departamento de Cartografia da FCT/UNESP.

Um projeto de Engenharia Cartográfica para uma área de estudo, localizada no fundo de vale da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp/ Pres.Prudente foi mostrado em detalhes, envolvendo o planejamento, execução e avaliação do levantamento planialtimétrico utilizando Estação Total e GPS.

Um debate se seguiu à apresentação, com a presença do Prof. Dr. José Milton Arana (Coordenador do curso de Engenharia Cartográfica) e de membros da Comissão de Gestão Ambiental da Faculdade. O evento proporcionou aos empreendedores virtuais, subsídios para a continuidade do projeto, previsto para finalizar em Dezembro de 2010, com a entrega de uma planta planialtimétrica na escala 1:1.000 para o Diretor, Prof. Dr. Antônio Nivaldo Hespanhol, da FCT/UNESP – Campus de Presidente Prudente.

escrito por Assessoria de Comunicação e Imprensa